Instituto de Pesquisa e Conservação de Tamanduás no Brasil

Giant Armadillo Conservation Program end of April 2020
18 de junho de 2020
Escola Brasileira de Balonismo
18 de junho de 2020
Mostrar tudo

Instituto de Pesquisa e Conservação de Tamanduás no Brasil

(Foto: João Marcos Rosa/Instituto Tamanduá)

INSTITUTO DE PESQUISA E CONSERVAÇÃO DE TAMANDUÁS NO BRASIL

O Instituto de Pesquisa e Conservação de Tamanduás no Brasil é uma Organização Não Governamental que surgiu em 2005 com a missão de desenvolver ações de pesquisa, educação e fomento a políticas públicas, visando a conservação de tamanduás, tatus e preguiças em vida livre e cativeiro. Hoje o Instituto conta com uma equipe multidisciplinar que trabalha diretamente com as espécies de Xenarthra brasileiros, junto a experiências em projetos de conservação e parcerias com instituições com o mundo todo, contribuindo para o comprometimento, integridade e qualidade do seu trabalho em prol da conservação.

(Foto: Karina Molina/Instituto Tamanduá)

No âmbito educacional, a ONG conquistou espaço de renome com cursos teóricos e práticos em universidades, participação em simpósios e congressos nacionais e internacionais. Anualmente, desde 2011, promove o mais completo curso de campo, no Pantanal do Mato Grosso do Sul, para capacitação de profissionais que trabalham com fauna em vida livre.

No campo da pesquisa acadêmica, o Instituto Tamanduá desenvolveu estudos pioneiros nos biomas Pantanal (Norte e Sul), Amazônica, Cerrado e Mata Atlântica, e em cativeiro, com tamanduás, tatus e preguiças nas áreas de Biologia, Ecologia, Sistemática, Genética da Conservação e Educação Ambiental, sendo hoje referência no desenvolvimento de pesquisas científicas para geração de informações necessárias para a conservação destas espécies e de seus habitats.

(Foto: Karina Molina/Instituto Tamanduá)

Na esfera das políticas públicas, o Instituto Tamanduá vem apoiando, colaborando e orientando a realização de programas, ações e atividades desenvolvidas pelo governo federal para a conservação destas espécies. Atualmente, a ONG é responsável pela coordenação do táxon no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, documento produzido, bianualmente, pelo Ministério do Meio Ambiente/ICMBio, sendo considerado a maior ferramenta para a criação de políticas de conservação no Brasil.

Além disso, a ONG coordena o Plano de Ação Nacional do Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus e matacus), trabalha junto a outros pesquisadores no Plano de Ação Nacional para Conservação do Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e do Tatu-canastra (Priodontes maximus) produzido pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (Ministério do Meio Ambiente), que identifica e orienta as ações prioritárias no combate às ameaças para estas espécies.

O Instituto Tamanduá atua ainda na elaboração de políticas públicas na Argentina, Peru, Colômbia e Suriname, e é responsável pela coordenação do táxon na Lista Vermelha das Espécies Ameaçadas de Extinção a nível mundial, documento elaborado pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). Possui cadeira no Conselho Consultivo da APA Delta do Parnaíba e no Conselho Deliberativo da RESEX Marinha Delta do Parnaíba.

(Foto: João Marcos Rosa/Instituto Tamanduá)

 

FONTE SITE OFICIAL INSTITUTO TAMANDUÁ. Disponível em http://www.tamandua.org/; Acesso dia 18 de junho de 2020.
Informações e Fotos por: Instituto Tamanduá

 

 

Gostaria de juntar-se a Beautiful Brazil e ajudar a divulgar as belezas de nosso pais?
Entre em contato (CLICANDO AQUI!)

 

Os comentários estão encerrados.